Breakfast at Tiffanys


Os Muricys corporativos
julho 15, 2009, 6:46 pm
Filed under: Sessão Descarrego

750770_hands_talkingTenho uma fonte para entrevistar que é daquelas indigestas.  Sabe o tipo grosseiro que tem prazer em ser insuportável? Um Muricy Ramalho do mundo corporativo.

Ainda bem que o tipo é raro nas empresas onde passo. Mas que tira a vontade de trabalhar, tira. Fico torcendo para ele estar de férias, de licença médica, ter viajado pra Argentina e pegado gripe suína, qualquer coisa que passe a bola pra alguém decente falar sobre o assunto.

É que se tem uma coisa que não perdoo (não tem mais acento, povo) é grosseira no trabalho. Relações profissionais devem estar obrigatoriamente  acima de disturbios emocionais. Tem algum problema psicológico? Procura ajuda, toma Prosac, faz terapia, faz blog, desconta na mãe, no marido, mas não em quem é obrigado a falar com você para ganhar a vida.

E fico perplexa de ver tipos como o fulano que to citando ou o senhor Muricy “mim grosso, mim desconto meu problema sexual nos jornalistas” Ramalho terem espaço no campo profissional…O técnico carcamano, por exemplo, tem sido disputado a tapa…Quéisso!

Manda o cara fazer terapia, tomar remédio controlado antes de voltar a soltar suas grosserias contra a imprensa. ..E a covardia do Muriçoca machão do ano é tanta que ele escolhe a dedo as vítimas. Solta farpa contra mulher e peixe pequeno. Nunca vi o responder com suas costumeiras malcriações a reporter da Globo, ou o Milton Neves, este sim, um arrogante babaca que merece levar patada!

Deviam criar um site: VaisetratarMuricy.com.br

Ainda no mundo comercial: E tem gente que não sabe mesmo fidelizar cliente. O petshop que eu levava a Juju faz diferença com os cães…cachorro que toma banho toda semana ganha enfeites completos. Quem não é assíduo, sai de lá com meio enfeite.

Fiquei com tanta raiva quando vi minha pequena com meio kit Festa Junina! Mas tanta raiva. Claro que para ela, não faz diferença, mas ver minha bebê só com fitinha, enquanto as outras estava de sainha, lencinho e chapeuzinho me cortou o coração.  Nunca mais piso lá…Vão à merda!

E pago até mais caro para valorizar comerciante que me trata bem. Mas o babaca dono do petshop precisa de umas aulas de marketing, né…

Ser profissional não é pra qualquer um!

Anúncios


iNSANO!
junho 12, 2009, 9:17 pm
Filed under: Sessão Descarrego

Alguém viu isto?

É totalmente insano que um bobalhão/idiota/covarde destes tenha a possibilidade de andar armado, não?

Pra mim, o babaca tem problema com a masculinidade…só pode!



Losing my religion
junho 1, 2009, 9:22 pm
Filed under: É sério, Sessão Descarrego

020198_12Eu tinha uns 4 anos quando a comadre da minha mãe disse que papai do céu tinha levado minha avó. Minha avó não tinha nem 50 anos e era a pessoa forte da família e a que me mimava. Isto é tudo o que eu me lembro.

Hoje penso se a vida não teria sido diferente se ela estivesse viva. Porque não foi só ela que papai do céu levou. Ele levou também um pedaço da minha mãe. Não que eu a culpe. Com vinte e poucos anos, grávida e vendo a mãe morrer ao poucos de câncer na cama de casa, não dá para voltar a ser a mesma pessoa.

Assim eu fui apresentada a deus, que logo em seguida passou em casa para levar o passarinho amarelinho. “Papai do céu levou o passarinho pra morar no céu”. Pra mim pouca diferença fazia porque eu não tinha a mínima noção de onde era o céu. Só tinha muita dó daquele pássaro embrulhado em um pedaço de pano esperando o tal papai do céu buscá-lo.

E falavam coisas boas sobre este tal pai. Mas pra mim ele era só alguém que vinha buscar as pessoas e os animais que eu gostava. Nunca tive simpatia por ele.

Mas então me empurraram para o catecismo que me fazia acordar cedo no domingo de manhã. E acordar cedo sempre foi uma coisa que detestei.

Eu chegava num salão escuro, em umas cadeiras duras e velhas e ouvia a mulher gorda falar um monte de absurdo.Nada daquilo fazia o mínimo sentido: todas as pessoas do mundo serem descendentes de duas? E todas terem que pagar por um pecado que não explicavam qual era parecia só idiotice. E eu me remoía e pensava: “não acredito que acordei cedo para ouvir isto. E que esta baboseira vai durar um ano!!”. Às vezes eu fugia e não entrava na igreja. E ficava na casa do meu avô, que pelo que lembro nunca me deu bronca por isto.

Aí meus pais mudaram de religião. Descobriram o espiritismo e me arrastaram para lá. Sei que acreditavam ser o certo. As pessoas acham que a religião salva tudo porque são criadas assim. E os dogmas são como bactérias comedoras de carne. Só que comem bom senso. E se livrar deles é a coisa mais complicada do mundo.

Nesta época eu já tinha tido uns ótimos professores de história que contaram que a igreja católica tinha vendido lugares no céu, que falava que os negros não tinham alma porque recebiam dinheiro dos fazendeiros que usavam os escravos e que tinha desrespeitado a cultura indígena. E que tinha se calado perante o nazismo.

Por isto, mais as referências negativas do catecismo, qualquer coisa parecia melhor do que ser católica.

Mas no espiritismo eles tinham um discurso que traduzindo sem eufemismos diz que o que acontece de ruim aqui é coisa da outra vida. E o sofrimento é bom porque nos faz melhores. “Hã?” Não acho que sofrer me faz ser melhor. Me faz ser mais amarga, vingativa, revoltada, isto sim.

Nesta salada toda continuei sem ter nenhuma ligação com deus, que parecia mais alguém muito sádico. Porque não tem como você sofrer por algo que fez, se você não lembra que fez…É como dar bronca no cão dois dias depois dele ter feito xixi dentro de casa. Ele não sabe porque ta tomando bronca…

E tinha mais uma coisa: meus pais se tornaram uma espécie de Angelina Jolie e Brad Pitt sem glamour. Tentavam salvar o mundo o tempo todo. Viviam enfiados no tal centro fazendo mil coisas para os outros e com recursos que mal tinham. Isto pode ser lindo na teoria. Mas não na prática. Porque eu via que muitas vezes esqueciam de resolver seus próprios problemas. Parecia que eram sugados cada vez mais para algo que eu nunca entendi para onde os levava.  Talvez eu quisesse aquela atenção.

E eu me afastei de tudo. E cresci cada vez mais cética.

Às vezes eu tentava, mas não dava. Então eu casei e fui morar do lado de um salão construído por uma igreja, que tem janelas pro meu lado e que me inferniza mais que o diabo com barulho. Foi um sufoco conseguir contato com o padre, que pelo jeito se acha muito melhor do que nós para ceder seu tempo. E vivemos na luta para garantir o direito de sossego.

E muitas pessoas nos julgam por isto. Quem eu esperava muito que comprasse minha briga porque me conhece e deveria ficar ao meu lado, preferia se calar e nos olhar com indiferença. Porque estávamos ousando desafiar a igreja por um direito nosso de cidadãos.

Já cansei de ver gente de centro, de igreja e de culto falar mal de outros, fazer piada de outra religião e tentar angariar seguidores para sua causa. E entre as pessoas mais apegadas em dinheiro que já conheci, uma é catolicíssima de marca maior – até faz sentido, já que o vaticano exemplifica como poucas instituições o acúmulo de bens.

Por tudo isto eu me mantenho o mais longe que posso de qualquer uma delas. E não consigo, por mais que tente, encontrar o tal deus e me dar bem com ele.

Na última vez que tentei, perdi alguém que amava muito. Era minha cachorrinha. E eu tentei entender o porque um ser sem maldade, sem karma ou seja lá o que você chame, precisou morrer sofrendo tanto, com tumores e hemorragias constantes, com dores, muitas dores. Então me falaram no espiritismo que o animal sofria para sua própria evolução. E mais uma vez eu xinguei deus porque levava de mim alguém antes da hora sofrendo muito – ainda mais com esta explicação besta.

E porque a melhor pessoa que eu conheço é uma das mais injustiçadas pela vida e quase não reclama de nada, me sinto no direito de me doer por ele, e por tanta coisa mais, prefiro desistir de acreditar. Porque é menos doloroso pensar que não existe nada a comandar nossa vida que saber que este ser permite que tudo o que estamos cansados de ver continue acontecendo.

E também porque pensar em deus só me fez sentir culpa e medo até hoje. Seja pela mão pesada da igreja e seu pecado original, seja pelos eufemismos hipnotizantes do espiritismo, que me tiraram a paz.  Sempre que acontece algo de ruim na minha vida, penso que é culpa minha porque eu não acredito nele ou porque eu preciso de uma lição, ou porque fui uma bruxa malvada na outra vida. E eu faria tudo para tirar esta bactéria do meu cérebro.

Dizem que minha visão é imatura e exagerada. Mas ninguém mais do que eu gostaria de se ter a prova de que está errada.

Só que sei, lá bem no fundo, que não há explicação razoável, prova concreta ou qualquer sinal verídico de que a justiça divina da qual tantos precisam desesperadamente acreditar para acordar um dia após o outro, de fato exista.



Invicto
maio 4, 2009, 10:48 pm
Filed under: É da fiel, Sessão Descarrego | Tags: ,

Ser corinthiano é ir além de ser ou não ser o primeiro. Mas que é bom pra caramba ser campeão, ah isto é!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!



A culpa é do porco…
abril 29, 2009, 8:45 pm
Filed under: É sério, Não como cadáver, Sessão Descarrego | Tags: , ,

Ser humano é bicho estranho. É só algo sair do seu controle. que rapidamente ele encontra alguém para culpar. Mesmo que indiretamente, ele liga o mal a outros. Quer se safar de sua cota de responsabilidade, se sentir vítima.

Já  ouvimos horrores do mal da vaca louca. Não é mera semântica, a denominação tende a relacionar a vaca com mal e com loucura. Cá para nós – e que me perdoem os carnívoros – mas acho que louca é a relação que o homem criou com a alimentação. Vive-se para comer. E não bastasse a gula, há a necessidade doentia de consumir outros seres.

Canibalismo pegaria mal. Então vamos comer outras espécies. Como se elas existissem só para nos satisfazer.

No blog antigo fiz vários post contando sobre o preconceito geral contra os vegetarianos que senti muitas vezes na pele. Degenerados, estranhos, como ousam tentar sobreviver sem cadáveres e reverter a ordem pré histórica da cadeia alimentar? Escuto piadas de todos, provocações veladas (mas ele adora carne, vem comer carninha, bebe… – nada a ver com o post,  isto extremamente pessoal e se algum dia alguém ler, vai entender claramente e se sentir ridícula), sou taxada de radical, sofro insistências irritantes para comer carne.  Só porque não quero viver as custas da vida de outros seres vivos.

E as denominações se multiplicam. Gripe do frango. Matem os frangos. Como se eles não fosse morrer mesmo…

porcos-donosO culpado da vez é o porco. Gripe suína. Será que foram os porcos que a criaram e a espalharam? Mas que bastardos animais impiedosos trazendo calamidade à humanidade…

O que se esquecem e poucos fazem questão de lembrar é que as mutações genéticas  que levaram os vírus à atingir os humanos deve ter ao menos alguma ligação com a criação industrial cruel dos animais para consumo.

Quantos hormônios os animais são expostos, quantos produtos químicos para aumentar a produtividade não são utilizados. E o ambiente. Li hoje um artigo que diz que só nos EUA há 65 milhões de porcos concentrados em 65 mil instalações. ? .  “infernos fecais de hoje, nos quais, entre o esterco e sob um calor sufocante, prontos para intercambiar agente patogénicos à velocidade do raio, se amontoam dezenas de milhões de animais com mais do que debilitados sistemas imunitários” – seguia o artigo.

O mal que se cria é o mal que se colhe. Não temos a vingança do porco, mas sim a consequência da ganância do ser humano.

Seria mais digno deixarem o porco em paz e assumirem – ao menos semanticamente – a culpa pelos males que causam a si próprios.

Friamente falando, a Terra está precisando de uma extinção para equilibrar o curso da vida, garantir a continuidade do planeta. E aqui, ca com meus botões – e só isso mesmo, sem maiores aprofundamentos científicos  – eu avalio que a espécie mais destrutiva e  que não faria falta alguma ao planeta, é a nossa.

E alguém ainda duvida que isto vai acontecer?



Ave, Gordo!!!!!
abril 20, 2009, 6:51 pm
Filed under: É da fiel, Sessão Descarrego | Tags: ,

1_825_20090419175317

Ronaldo já está eternizado no timão!!! Tem garra, compra briga e sabe como poucos dar a volta por cima.

Valeu, Gordo!!!!!!!!!!!!!!

Ah….Como é bom eliminar o São Paulo!!!!!!!!



Pássaro é para voar
abril 15, 2009, 7:37 pm
Filed under: É sério, Faça sua parte, Sessão Descarrego | Tags: , ,

Há algumas semanas participei de um workshop que o Ibama de São Paulo fez com a imprensa. O objetivo era orientar jornalistas e produtores de programas de Tv sobre a correta abordagem e exposição de animais silvestres na mídia, pois a utilização irresponsável dos bichos que na maioria dos programas (alguém pensou naquelas aberrações apresentadas aos domingos???)  serve apenas como show facilitador de audiência e só induz ao comércio de aves e animais silvestres em geral.

Foi altamente esclarecedor. E mostrou como o órgão tem profissionais comprometidos com a preservação da fauna. Mas a luta deles é muito difícil. É contra o sistema, contra grupos do tráfico e de supostos criadores altamente influentes entre os políticos e com dinheiro, muito dinheiro envolvido para comprar todas as instâncias envolvidas.

Parece piada. No Brasil, traficantes de animais não ficam presos mais do que alguns dias. Logo, algum juiz solta e eles voltam ao crime. Tem casos de pessoas presas na década de 80 por tráfico, que continuam na atividade, sempre se safando e continuando a traficar animais indefesos. Porque temos leis frouxas, juizes imbecis e retrógrados – para não mencionar outras possíveis formas de subverter a lei ao interesse econômico.

Diferente do que se prega, um animal que viva em cativeiro, pode, em grande parte dos casos, ser reintroduzido na naturesa. Mas até para isto há burocracia. E muita.

Há uma luta por parte dos envolvidos na causa animal para que seja proibida qualquer comercialização de animais da fauna silvestre. Não é radicalismo, é apenas o bom senso de compreender que animais silvestres não têm natureza para viver como domesticados. Que isto é crueldade, é desnecessário e que desequilibra totalmente o meio ambiente.  

Dias depois da reunião, acompanhei em um fórum de criadores de canários a repercussão do evento. Com postura arrogante, brutal e ameaçadora, intimidadora, falavam do evento como um “incidente”.  Diziam que devem sair da jurisdição do Ibama, que têm poderes para isto. Se proclamavam poderosos. É este o tipo de gente que comercializa animal. E se você tem um mero canário na gaiola na sua casa está contribuindo para que esta escória da humanidade continue lucrando, ameaçando, jogando sujo, se valendo de leis estúpidas, de pessoas corruptas.  Está realmente do lado errado.  Do lado dos bandidos.

Não importa se seja criador licenciado. Muitos destes são autuados por maus tratos e muitos “batizam” animais do tráfico para que sejam considerados nascidos em cativeiros.

Ganhar dinheiro com o aprisionamento de um animal silvestre é errado. Comprar um é errado. Manter um na gaiola da sua casa é errado. Não importa que justificativa você dá para mantê-lo. É preciso deixar o egoísmo de ter uma ave exótica só para mostrar às visitas e fazer alguma coisa. Isto é errado.

Pássaros são feitos para voar. E se você impede isto, não importa quantas vezes vá a igreja e se ache uma boa pessoa ou quanto engane a si próprio dizendo que não tem o que fazer com ele, você está errado. Está do lado errado. E a natureza fará você pagar por isto.

1146008_heart_shaped_birds