Breakfast at Tiffanys


Xenofobismo, chuteiras e globalização
julho 5, 2010, 9:23 pm
Filed under: Sem-categoria

Copa do Mundo é legal. E deveria ser única e exclusivamente diversão. Já que não é o time de coração que ta lá, aproveita para ver um jogo de futebol sem sentir o coração saindo pelos tímpanos.

Só que institui-se que devemos torcer pelo país que nascemos. Bobagem. Nasci aqui não por escolha. Se deus existe, ta me devendo já desde meu nascimento por ter me feito nascer neste canto quente e demais. Aliás, tudo aqui é demais pro meu gosto. Não gosto de viver aqui e não fui embora ainda por falta de coragem.

Meu umbigo à parte,  não seria mais saudável e melhor em todos os níveis e formas, se a geografia não se limitasse à função de localização e não ditasse quem você é ou deve ser. Se nos sentíssemos cidadãos do mundo? Porque o agrupamento mais cria tensão do que solução.

Mas é na época da Copa que o nacionalismo é elevado à qualidade e combinado com um esporte que mexe com os nervos como poucas coisas, só pode dar merda. Porque tudo, mas absolutamente tudo tem carga pessoal nessa vida. Não da para separar as manifestações do que somos no fundo.

Cada piada “inocente” sobre este ou aquele povo é nada mais do que a intolerância intrínseca estampada na forma de patriotismo. Da panfletagem antiamericana à péssima publicidade onde os argentinos são alvo, cada tirada generalista leva a aumentar a carga de intolerância, preconceito, racismo e xenofobia tão inertes nos seres humanos.

Então, para e pensa na quantidade de bobagens que você ouviu e falou nas últimas semanas. Torce para um time porque o uniforme é vermelho e você gosta da cor, porque o futebol é contagiante, porque os jogadores são feios ou lindos, porque foi com a cara dele, porque ta com dó, mas não porque ouviu um dia alguém que nem lembra quem é e quando, falar que aquele país é assim ou assado ou porque o time B é vizinho de continente ou porque o país  que ta no seu RG tem que vencer e o outro tem que perder porque é rival histórico. Para de rir de quem perde, de quem vai embora, ta triste e decepcionado.

Torce porque quer. E não porque falaram que tinha que torcer.

Para de se achar a última coca-cola do deserto porque onde você nasceu tem samba e campinho em tudo o que é esquina.  E para de panfletar política que você nem sabe o que significa e de ter inveja de quem fala outra lingua, taxando-o de conceitos que não estudou a fundo para entender do que se trata.

Tudo, no fundo, é estudo psicológico.

Olha que mal isto faz: aqui, aqui e aqui.

Anúncios

4 Comentários so far
Deixe um comentário

Imagine there’s no countries… Está tudo dito…

Beijocas!

Comentário por Selma Barcellos

Concordo, Conterrânea. Haja bobagem na época da Copa do Mundo… E brasileiro realmente se acha o fino da bossa, e cada vez mais se parece com americano: não sabe nada além da cerca do quintal da própria casa. Aí bate AQUELE desânimo.
Bjs

Comentário por Selma

Eu acho normal rivalidade. Estamos falando de futebol e isso existe. Fazemos isso o ano todo entre times. São os mulambos, os bambis, os do chororô… Tudo não deixa de ser preconceito. Mas é a rivalidade do futebol. Não vou deixar de ser sua amiga porque você não torce para o meu time.

Tanto na Copa, como no nosso dia a dia, quem perde o foco da brincadeira precisa realmente repensar em tudo isso.

Comentário por Mari

Não torço para o Brasil na Copa do mundo. Nem assisto.
Voce me fez parar para pensar se gosto de morar aqui, ou quanto eu gosto. Não sei…
Mas não teria coragem para sair.
Fui ficando.

Comentário por picida ribeiro




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: