Breakfast at Tiffanys


Adeus, Saramago
junho 18, 2010, 1:35 pm
Filed under: Sem-categoria

A morte é uma droga. Ou melhor, a morte de pessoas que valem o ar que respiraram.

E aqui, mais do que valer o ar que respirou, ele enriqueceu com ideias e reflexões lançadas sem meias palavras. Criou seu estilo literário. Polemizou.

Já disse uma vez, quando morreu o Paulo Autran, que a longevidade das pessoas deveria ser equivalente a sua produtividade. Aqui também, se esta regra valesse, teríamos Saramago no mundo, ao menos, por uns 300 anos. Mas não é assim, infelizmente. Então,

“Não tenha pressa, mas não perca tempo…”
José Saramago

Dia triste. Muito triste.

Post anteriores sobre Saramago. Aqui e Aqui

Anúncios

3 Comentários so far
Deixe um comentário

Senti o mesmo quando a Zélia Gattai foi embora, nossas letras perderam a sua graciosidade e ficaram mais invisiveis em algum canto da alma…

Comentário por luciana

Uma existencia justificada pelo leigado deixado.

Comentário por picida ribeiro

No dia da morte dele, conversamos muito sobre isso. E continuo afirmando: artistas não morrem são imortais através de suas obras.

Comentário por Mari




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: