Breakfast at Tiffanys


Losing my religion
junho 1, 2009, 9:22 pm
Filed under: É sério, Sessão Descarrego

020198_12Eu tinha uns 4 anos quando a comadre da minha mãe disse que papai do céu tinha levado minha avó. Minha avó não tinha nem 50 anos e era a pessoa forte da família e a que me mimava. Isto é tudo o que eu me lembro.

Hoje penso se a vida não teria sido diferente se ela estivesse viva. Porque não foi só ela que papai do céu levou. Ele levou também um pedaço da minha mãe. Não que eu a culpe. Com vinte e poucos anos, grávida e vendo a mãe morrer ao poucos de câncer na cama de casa, não dá para voltar a ser a mesma pessoa.

Assim eu fui apresentada a deus, que logo em seguida passou em casa para levar o passarinho amarelinho. “Papai do céu levou o passarinho pra morar no céu”. Pra mim pouca diferença fazia porque eu não tinha a mínima noção de onde era o céu. Só tinha muita dó daquele pássaro embrulhado em um pedaço de pano esperando o tal papai do céu buscá-lo.

E falavam coisas boas sobre este tal pai. Mas pra mim ele era só alguém que vinha buscar as pessoas e os animais que eu gostava. Nunca tive simpatia por ele.

Mas então me empurraram para o catecismo que me fazia acordar cedo no domingo de manhã. E acordar cedo sempre foi uma coisa que detestei.

Eu chegava num salão escuro, em umas cadeiras duras e velhas e ouvia a mulher gorda falar um monte de absurdo.Nada daquilo fazia o mínimo sentido: todas as pessoas do mundo serem descendentes de duas? E todas terem que pagar por um pecado que não explicavam qual era parecia só idiotice. E eu me remoía e pensava: “não acredito que acordei cedo para ouvir isto. E que esta baboseira vai durar um ano!!”. Às vezes eu fugia e não entrava na igreja. E ficava na casa do meu avô, que pelo que lembro nunca me deu bronca por isto.

Aí meus pais mudaram de religião. Descobriram o espiritismo e me arrastaram para lá. Sei que acreditavam ser o certo. As pessoas acham que a religião salva tudo porque são criadas assim. E os dogmas são como bactérias comedoras de carne. Só que comem bom senso. E se livrar deles é a coisa mais complicada do mundo.

Nesta época eu já tinha tido uns ótimos professores de história que contaram que a igreja católica tinha vendido lugares no céu, que falava que os negros não tinham alma porque recebiam dinheiro dos fazendeiros que usavam os escravos e que tinha desrespeitado a cultura indígena. E que tinha se calado perante o nazismo.

Por isto, mais as referências negativas do catecismo, qualquer coisa parecia melhor do que ser católica.

Mas no espiritismo eles tinham um discurso que traduzindo sem eufemismos diz que o que acontece de ruim aqui é coisa da outra vida. E o sofrimento é bom porque nos faz melhores. “Hã?” Não acho que sofrer me faz ser melhor. Me faz ser mais amarga, vingativa, revoltada, isto sim.

Nesta salada toda continuei sem ter nenhuma ligação com deus, que parecia mais alguém muito sádico. Porque não tem como você sofrer por algo que fez, se você não lembra que fez…É como dar bronca no cão dois dias depois dele ter feito xixi dentro de casa. Ele não sabe porque ta tomando bronca…

E tinha mais uma coisa: meus pais se tornaram uma espécie de Angelina Jolie e Brad Pitt sem glamour. Tentavam salvar o mundo o tempo todo. Viviam enfiados no tal centro fazendo mil coisas para os outros e com recursos que mal tinham. Isto pode ser lindo na teoria. Mas não na prática. Porque eu via que muitas vezes esqueciam de resolver seus próprios problemas. Parecia que eram sugados cada vez mais para algo que eu nunca entendi para onde os levava.  Talvez eu quisesse aquela atenção.

E eu me afastei de tudo. E cresci cada vez mais cética.

Às vezes eu tentava, mas não dava. Então eu casei e fui morar do lado de um salão construído por uma igreja, que tem janelas pro meu lado e que me inferniza mais que o diabo com barulho. Foi um sufoco conseguir contato com o padre, que pelo jeito se acha muito melhor do que nós para ceder seu tempo. E vivemos na luta para garantir o direito de sossego.

E muitas pessoas nos julgam por isto. Quem eu esperava muito que comprasse minha briga porque me conhece e deveria ficar ao meu lado, preferia se calar e nos olhar com indiferença. Porque estávamos ousando desafiar a igreja por um direito nosso de cidadãos.

Já cansei de ver gente de centro, de igreja e de culto falar mal de outros, fazer piada de outra religião e tentar angariar seguidores para sua causa. E entre as pessoas mais apegadas em dinheiro que já conheci, uma é catolicíssima de marca maior – até faz sentido, já que o vaticano exemplifica como poucas instituições o acúmulo de bens.

Por tudo isto eu me mantenho o mais longe que posso de qualquer uma delas. E não consigo, por mais que tente, encontrar o tal deus e me dar bem com ele.

Na última vez que tentei, perdi alguém que amava muito. Era minha cachorrinha. E eu tentei entender o porque um ser sem maldade, sem karma ou seja lá o que você chame, precisou morrer sofrendo tanto, com tumores e hemorragias constantes, com dores, muitas dores. Então me falaram no espiritismo que o animal sofria para sua própria evolução. E mais uma vez eu xinguei deus porque levava de mim alguém antes da hora sofrendo muito – ainda mais com esta explicação besta.

E porque a melhor pessoa que eu conheço é uma das mais injustiçadas pela vida e quase não reclama de nada, me sinto no direito de me doer por ele, e por tanta coisa mais, prefiro desistir de acreditar. Porque é menos doloroso pensar que não existe nada a comandar nossa vida que saber que este ser permite que tudo o que estamos cansados de ver continue acontecendo.

E também porque pensar em deus só me fez sentir culpa e medo até hoje. Seja pela mão pesada da igreja e seu pecado original, seja pelos eufemismos hipnotizantes do espiritismo, que me tiraram a paz.  Sempre que acontece algo de ruim na minha vida, penso que é culpa minha porque eu não acredito nele ou porque eu preciso de uma lição, ou porque fui uma bruxa malvada na outra vida. E eu faria tudo para tirar esta bactéria do meu cérebro.

Dizem que minha visão é imatura e exagerada. Mas ninguém mais do que eu gostaria de se ter a prova de que está errada.

Só que sei, lá bem no fundo, que não há explicação razoável, prova concreta ou qualquer sinal verídico de que a justiça divina da qual tantos precisam desesperadamente acreditar para acordar um dia após o outro, de fato exista.

Anúncios

16 Comentários so far
Deixe um comentário

Oi,Ka! Li o seu desabafo atentamente.

Duas humildes ponderações: que tal banir a palavra culpa do seu cotidiano? Pessoas do bem, como você, não a têm.

Depois, religião, etimologicamente, vem de ‘relegere’- considerar cuidadosamente, não negligenciar ou de ‘religare’- ligar, prender. Em qualquer sentido, o seu amor pelos animais é a SUA religião,Ka. É a sua energia conectada para algo maior,é sua elevação.

Sinta-se um ser iluminado.

Beijocas da amiga.

Comentário por selma barcellos

Oi Conterrânea, esse é um assunto delicado… Porque cada um tem uma experiência e vivência diferente com religião…
Sou católica “praticante” (odeio esse termo) e sou feliz com a minha religião. Mas chegar nesse “ser feliz” demandou muitos altos e baixos, muitos questionamentos e muito, muito estudo.
Mas isso não é importante. O que eu quero dizer é que o que importa é você ser feliz com suas crenças e ideais. Como a minha xará disse, religião significa religar. Viva intensamente o que você acredita. E dê uma chance a você para apagar as más experiências do passado: a nossa tendência é creditar a Deus todos os infortúnios e a nós mesmos as coisas boas…
Bjs!

Comentário por Selma

Oi Ka, entendo muito bem o que vc sente. Apesar de crer nesse Deus que vc ainda não ‘conhece’, eu tbm tenho lá minhas dúvidas.

Beeijos, saudades..

^^

Comentário por Youko Watanabe

Oi, Ka! Sou anglicana, mas pra te ser sincera detesto religiosidade e afins. Sempre bati muito de frente com essas coisas. Deus é outra história. Deus não é religião, mas receio que a religiosidade exacerbada das pessoas dentro das igrejas tenha denegrido a real imagem de Deus. Acho que cada um tem suas experiências com Ele. É muito pessoal. Quem sabe um dia você mude de opinião ou não. O que importa é que você esteja em paz e pronto.
Um cheiro bem grande e boa noite.
:]

Comentário por Dora

Fantástico texto.Adorei cada linha, muito bem escrito e de uma vivência incrível.Tenho de voltar mais vezes aqui.Há muito para ler.

Comentário por Margarida Piloto Garcia

Ka, queridonaaaaaaaaaaa!
🙂
Olha, DEUS ñ tem nada a ver com religião. Religião é coisa inventada pelos homens p usar como manipulação de massa (e como isso funciona!). Esse post tem tantos sentimentos juntos, Ka… Tem toda a sua vida até aqui… Lindo, sensível, real e doído.
:/
Vc é uma pessoa tão digna q me deixou, mais uma vez, profundamente tocada com o q escreveu.
^.^
Bjos***

Comentário por Tatyan

Texto excelente! Poucas vezes li algo sobre religião, escrito com tanto respeito e profundidade.
Eu continuo cética pela vida, mas respeitando cada crença e religião

Comentário por picida ribeiro

Li o post novamente. E me ocorreu dizer que são raras as pessoas que não acreditam e asumem. Como diz um amigo meu, são os ateus que ainda estão no armário. Voce saiu e assumiu.

Comentário por picida ribeiro

Ka, assim como você, fiz catecismo e sou de família espírita. Também não acredito no catolicismo graças as aulas de História da escola.
Mas em outros pontos, penso diferente de você. Eu amei fazer catecismo. Fiz um monte de amigos que são próximos a mim a té hoje (e como eu, nenhum deles frequenta a igreja) e ouvia todas aquelas histórias como entretenimento. Para mim, eram contos de fadas. rsrs
Eu acredito em outras vidas, mas não em sofrer para nos purificar. E encontrei o tal Deus que tantos falam. Mas meu Deus é diferente. Ele falha muito e não está nem perto de ser perfeito. Talvez, ele seja para mim o que muitas pessoas chamam de sorte. Ou destino.
E também não acredito que Deus tenha controle de tudo e que leve as pessoas que amamos. Quem é responsável pela morte e pelo sofrimento é a vida. Faz parte do ciclo. Assim como sofrer. Uma vida feita somente de alegrias nos tira o sentimento de valorizar o que temos e as pessoas que amamos.
Não sofra por não acreditar em nada disso. Cada um tem direito de entender a vida como quiser. 😉
Beijos

Comentário por Mari

Olá, boa noite.
Não sei se o sentido de losing my religion seja esse…acho que tem mais com a perda da esperança nas pessoas…eu não lembro quem escreveu e também não lembro a exatidão das palavras, mas era algo assim : ” SÓ PODE CONHECER A VERDADEIRA FELICIDADE QUEM CONHECEU DE VERDADE A TRISTEZA’…Quando achar o original eu posto novamente.
Abraço,
Luís/SP

Comentário por Luís

Bom, o texto foi fantástico, lendo-o de forma “fria” mas, uma pessoa como eu, que creio no Deus Vivo e vejo os Seus milagres diariamente, interpreto-o de forma diferente e gostaria de lhe mostrar o outro lado da moeda.
A explicação é bem simples, assim como ensinam as crianças de maternal: existe, no mundo espiritual o bem e o mal. O dono de tudo que é bom se chama Deus e de tudo que é mal, o diabo.
Portando existem as pessoas que seguem o bem, chamados filhos de Deus, e os que praticam o mal, os filhos do diabo.
Quando vemos pedofilia, assassinatos e todas as desgraças existentes no mundo não foi “Deus quem permitiu” e sim o diabo que o fez e utilizou seu filho para fazê-lo. Lembrando que ele usa pessoas inclinadas a isso, pessoas ruins!! Jamais uma pessoa boa, um filho de Deus, sucumbiria a um chamado desses.
Quando vemos despachos, macumbaria com animais sacrificados e etc. vc acha que aquilo é bobeira, que nada acontece? Assim como, ao orarmos, coisas boas acontecem, isso tb vale pro mal…as coisas lá tb acontecem!
Quando NÃO possuimos o revestimento espiritual, concedido por Deus a aqueles que O buscam, perecemos.
É fácil demais culpar Deus mas se pararmos para pensar a causa de TODAS as catástrofes têm, em sua essência, falha humana. Tomemos por exemplo o caso da catástrofe no RJ, no morro do Bumba…se não tivessem casas construídas na encosta de um morro, nenhuma pessoa teria morrido e jamais teríamos ouvido histórias tão tristes de que famílias inteiras foram destruídas.
Deus delimitou o que pertence à natureza e o que pertence ao homem mas por causa da DESOBEDIÊNCIA à Sua Palavra, os homens perecem…é como se eles desses ouvido as palavras do inimigo de nossas almas, que trabalha 24 horas por dia para levar nossas almas e TENTAR colocar a culpa no Deus vivo.
Agora…morte e doença são coisas da natureza humana…isso não nos cabe deter…
Porém há casos em que o mal acha que detêm o poder de levar as pessoas mais cedo, desejando a doença e a morte de outros..
Já vi INÚMEROS casos de pessoas que foram curadas após oração. Se isso aconteceu, a doença foi fruto de desejos do maligno.
Se a doença de sua cachorra foi um caso desses, mo qual alguém, por ventura, a fim de te derrotar lançou de bruxaria para te deixar em depressão por levar aquilo que vc mais ama, você NÃO teve a sabedoria de clamar à Deus pois Ele te foi apresentado de forma errada (como vc descreve no texto). Posso te afirmar que Ele tem o poder de dar vida, de curar…e Ele OUVE o que os buscam.
Pare e analise.
Não culpe Deus, culpe o diabo e as pessoas ruins que estão na terra cumprindo tudo o que ele ordena.

Comentário por O outro lado da moeda

Pois é. Só que não acredito em Diabo, ok..

É disto que to falando, religião faz as pessoas perderem o bom senso. Tudo bem se guardassem as fantasias para elas. Mas agem como angariadoras de fieis querendo te enfiar sua crença guela abaixo.
Não preciso disto.

Comentário por Ka

ok…
Eu não sigo religiões. É você quem tem trauma delas.
Só por falar de Deus a pessoa é religiosa?

Se vc quer ser respeitada por não acreditar em nada disso, respeite quem acredita e não fique falando que são pessoas sem senso e fantasiosas…ok?

Comentário por O Outro lado da moeda

Pregação de fanático ativada!
Vá fazer algo útil de verdade, prático…e larga do meu pé, ok!

Comentário por Ka

Traumas de infância ativado!

Não estou no seu pé, como você falou eu TENHO coisas úteis para fazer, o inútil foi comentar no seu blog.

Chego a uma conclusão: Só tome um café na Tiffanys se você concordar que ela!!

Comentário por O Outro lado da moeda

Larga do meu pé! Vai pregar pra otários!
Meu blog, minhas regras. Não suporto pregadores fanáticos religiosos com seus argumentos fantasiosos, se achando acima do resto da humanidade por sua suposta sabedoria! Seus argumentos não têm nenhum tipo de validade no mundo real, na ciência. Não existe nenhum milagre cientificamente comprovado. Não existe diabo, então acorda!
Não vou comentar em blogs e posts destes temas. E não quero pregação aqui.
Quer falar de Lost, livros, cinema, música, contar uma piada, fique à vontade…
Ah, compre um computador para não ter que ficar usando de Lan House! É deprimente…
Aff!

Comentário por Ka




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: