Breakfast at Tiffanys


Marley & Eu – E Eu
janeiro 6, 2009, 8:03 pm
Filed under: Nas telas, Não vivo sem bicho, Vá ler um livro

marley7Atenção – O post contém informações sobre o final da história. Se você é um dos 3 seres no planeta que não conhece o final do famoso livro, fuja daqui.

 

E o ano não podia começar diferente. Dia 2, estava eu no cinema, ansiosa para assistir Marley & Eu.

Terminada a sessão, meus olhos inchados e vermelhos chamavam atenção dos demais frequentadores do shopping. Arrependimento? Nenhum. Foi uma experiência e tanto.

Dirão que exagero por ser apaixonada por cães, mas Marley & Eu, além de explorar a relação que temos com nossos amigos peludos, é um filme sobre a vida.

Baseado no best seller homônimo de Jonh Grogan, a versão das telonas conta a vida do autor a partir de seu casamento, focando na relação com o atentado labrador, com a esposa, a chegada dos filhos e sua carreira jornalística, que segue um rumo bem diferente de suas expectativas.

Por incrível que pareça – tratando-se de uma cachorreira como eu – não li o livro. Não consegui. Quando foi lançado, eu tinha acabado de perder a Dara, nossa fox paulistinha. A experiência – que culminou na eutanásia – foi muito pesada, muito sofrida e eu não queria nada me que lembrasse – embora por nenhum minuto daquele ano eu consegui esquecer – do sofrimento dela.

Mesmo continuando a mesma pessoa que não sabe lidar com perda – e acho que nunca aprenderei – com o lançamento do filme, tentei exorcizar minha covardia e fui conhecer a história de Marley.

marleyPor desconhecer a versão do livro, não posso opinar sobre o quesito adaptação. O que posso contar é que a abordagem cinematográfica da vida da família é de uma sensibilidade notável.

John é um cara comum, sem maior carisma (exatamente por isso, Owen Wilson caiu muito bem no papel) e as dificuldades e alegrias que divide com a esposa são vividas por grande parte das pessoas, independente de terem ou não filhos. Sua dificuldade de treinar Marley, sua relutância perante as mudanças, sua indecisão e até insatisfação profissional são questões que quem se compromete com algo ou alguém, sente em algum momento. E a forma suave como tudo foi abordado é o grande mérito do filme.

Claro que a relação com Marley é o foco cômico e o chamariz para lotar as salas de cinema. E a edição privilegiou os momentos hilários, criando clipes divertidíssimos embalados por uma trilha sonora muito bacana. A química dos atores entre si e com os cães que interpretaram o fanfarrão labrador também é ótima e embora seja difícil me imaginar sendo interpretada por Jennifer Aniston, em muitos momentos me sinto como a dona de Marley e imagino que aquele filme podia muito bem ser da minha vida.

E assim a vida segue. Um dia, como ocorre com todos que convivem com cães, a perda é inevitável. Se agradeci por esta parte ser pequena e ficar relevada ao fim, não consegui evitar soluçar no cinema nos tristes momentos finais. Neste ponto, faço uma ressalva: acho que não precisava ser tão visual. Podia ter sido mais suave como foi o restante da narração. Ficou óbvio demais que a intenção foi tornar o filme uma referência em finais lacrimejantes e causar comoção. E como causa.

Se você tem um mínimo de sensibilidade vai chorar com Marley. Se você é daqueles – como eu – que passou na fila do sentimento várias vezes, vai se acabar e vai ter vontade de chorar toda vez que lembrar daquele desfecho.    

Porque na verdade, naquelas cenas finais eu não mais prestava atenção ao filme. Passava pela minha mente várias lembranças de minhas experiências com amigos de quatro patas que já foram desta vida, como foram importantes para eu ser quem sou, como me tornaram uma pessoa melhor. E claro, pensava na minha turminha, em casa, me esperando. E a vontade que deu foi de correr para lá, abraçar meus queridos e fazer tudo que eles querem. Porque a vida deles é muito curta. E porque passa rápido demais.

E o que ficou é a certeza de que Marley & Eu deve ser assistido sim. Porque deve agradar quem tiver sensibilidade.Pois mostra o amor inocente e desprovido de interesses de um cão e a diferença que ele faz em nossa vida. Mostra que as dificuldades de vidas não tão extraordinárias podem valer a pena. Que é importante estar aberto para aceitar algumas mudanças de plano. Que o sucesso nem sempre é o que o inconsciente coletivo te ensina.

E hoje, imagino como John Grogan se sinta. Como Marley mudou sua vida. Como ele, depois de não esperar já mais grandes surpresas da profissão, alcançou e tocou tantos corações como escritor. Nunca é tarde. 

PS – E aquele fofo que interpretou o Marley velhinho na cena mais triste da história do cinema merece um Oscar.

Anúncios

13 Comentários so far
Deixe um comentário

Hummm..

Não li o post. Faço parte destes 3 seres do planeta citados por ti..rsrs, mas me de 15 dias! E ai ficaram somente 2 seres (e seria muita coincidencia eles virem ate aqui tbm!).

Vou ler sim, depois do Crepusculo nao me interessei por mais nenhum livro, está na hora de encontrar outra febre..rsrs Li em algum blog dizendo que é muito bom, espero que nao seja triste e tenha final feliz..rsrs (por isso gosto de livros, eles nao sao como a vida real!)

Li o post anterior, meu gato tbm gosta de tv, principalmente da novela. Nao se ele gosta mas ele fica olhando pra tv e olhando pra mim (ou sera que pensa que eu sou uma tola por ver novela?!rsrs)…

Ele gosta ainda mais de janela.. consegue passar horas olhando para fora com os olhinhos pulando de um lado para o outro.

Humm te desejo um feliz 2009 que todos esses desejos desejador por ti se realizem!..;)

Bjusss

Comentário por Lucí

Ká, não conhecia esse seu blog…
Muito bom…
Amo/adoro/idolatro cachorro…
E estou lendo o livro, depois quero ver muito o filme…
Bjos, té mais…

Comentário por gabriel05

Oi, moça!
Eu li o livro e me emocionei demais. Ainda não tive coragem de ir ver o filme, nem sei se terei. A vantagem é que aqui no interior ele ainda não chegou. Quando entrar em cartaz eu penso nisso.
Bjo

Comentário por Lile

Olá Karen!
Como sabe, estou de férias aqui no RS, na casa dos meus pais e não tem sobrado muito tempo para postar nada (incrivelmente, tenho pouco acessado a internet).

Mas estou retornando dia 11, com uns 20 filmes assistidos e muita coisa pra comentar.

Ah, e nosso podcast está de pé. Assim que chegar em casa, organizamos as coisas.

abraço!

Comentário por Davi Cruz

Heeey Kaa.. =)
Eu li o livro e digo que adorei.. quero ver o filme pq sei que deve ter sido muito bom.. e com vc dizendo ajuda bastanta.. rs

Eu não gosto muito de filmes com animais, principalmente aqueles que falam sabe.. soa muito falso, sei lá =/
Mas, quando li Marley e Eu, me apaixonei por esta historia e confesso que chorei lendo o livro.. imagine vendo o filme..

Beeijos =)

Comentário por Izzie

Eu conheço o fim da história, por isso não sei se terei estrutura psicológica e emocional para assisti-lo.
Eu sou testemunha que a conpanhia de um cão transforma pessoas, muda vidas

Comentário por Picida ribeiro

Well, eu sou um dos três seres do planeta que não conheciam o final da história hehehe…
Mas como sou muito intuitiva, já imaginava. Talvez por isso bloqueei o livro e o filme da minha vida.
Minha sensibilidade canina está a flor da pele. Ainda dói a ferida aberta da separação das minhas duas filhinhas peludas. Elas não morreram, mas tenho esse sentimento de culpa de que talvez as coisas pudessem ser diferentes, e que eu não vou ve-las ficarem velhinhas. Dói muito e eu não quero futucar a ferida. Por isso passarei bem longe dos cinemas que estão exibindo Marley.
Não tenho estrutura psicológica.
Beijos.

Comentário por lucy in the sky

Oi, Ka!
Exatamente como você, não li o livro, mas vi o filme. Não li porque não queria ler sobre o fim de um cãozinho. Justo de um labrador que é o meu sonho de amigo de quatro patas.
Mas vi o filme por insistência das minhas amigas que também queriam ver. E, lógico, todas nós choramos. Fiquei realmente engasgada com aquele fim. E ao mesmo tempo revoltada: por que os cachorros morrem?
O filme é extraordinário, apesar do fim (rsrs) e com certeza de uma sensibilidade imensa. Adorei!
Beijos

Comentário por Mari

Olá Karen !

Nós lemos o livro, e digo pra vc … leia que vale a pena, a emoção será a mesma há muitos detalhes interessantes que vc tb vai se identificar !

Veja este vídeo no You Tube ! http://www.youtube.com/watch?v=AszbF5jogdI

É um pequeno trecho de um filme que o Marley (o verdadeiro) participa !

Abraços,

Rafael

Comentário por Rafa

Não li o livro, mas assisti o filme e simplesmente adorei, embora ache que algumas passagens podiam ter sido melhor exploradas, foi lindo.
Um bj!

Comentário por Giseli

Gente ameii d++ o filme é mto mto legal adorei sério eu recomendo é mto boom olhem o fiilme é ótiimo eu adoreii
beijinhos Pauliina
adoreii o fiilme

Comentário por Paulina

li o livro e assisti o filme e obvio chorei, e muito! inclusive todas as vezes q assisto choro, sim eu jah assisti mais de uma vez. e sempre convenço uma amiga pra assistir comigo e todas choram. qnto á compração, o filme é mais emocionante pois acredito q essa realmente foi a intenção, para tal, criaram pequenos fatos q n existiam no livro , n sei se foram inventados ou somente n foram publicados no livro mas realmente existiram. o livro em certo momento fica um pouco cansativo, mas vale a pena ler ateh o fim. e do filme sem mais elogios, jah deu pra perceber q eu simplesmnte amo.

Comentário por diene

adorei o livro ele é mais detalhado do que o filme pois é mais facil para as crianças intenderem melho pois conheço muito gente que sao menores e adoram o livro John Grogan vc esta de parabens eu mesma adorei esse libro

bjus ate

Comentário por Luana




Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s



%d blogueiros gostam disto: